Quem Ainda Não Leu Tem Que Ler!!!

Atualizado: Mar 10


#Escrever, é o título do livro do #StephenKing publicado em Portugal, no Brasil, o título é Sobre a Escrita. Este foi um dos melhores livros de escrita que já li. Como o próprio Stephen diz em seu prefácio “Este livro é curto porque a maior parte das obras sobre a escrita está carregada de disparates”. E realmente é curto e direto.


Em 2000 o livro foi publicado pela primeira vez nos Estados Unidos. A edição que eu tenho é de 2020, publicado pela Bertrand Editora. O livro está dividido basicamente em quatro partes: Currículo, Caixa de Ferramentas, Sobre a Escrita e Sobre a Vida. Além disso, tem três prefácios, duas partes dedicadas literalmente como ele escreve e como corrige seus textos e duas listas de livros lidos pelo King.


Quando comprei o livro não esperava que a parte de Currículo fosse a biografia do autor. A escrita do King é tão fluídica que até esqueci que o livro era de “estudo”. Foi muito interessante conhecer o início da carreira dele, os problemas e negativas que enfrentou. Humanizou o autor e mostrou que até os grandes tiveram seus textos recusados. E mostra que também passam por problemas assim como a gente. Outro ponto importante é quanto ele é família e adora sua esposa.


Em seguida, vem a Caixa de Ferramentas, que ele faz uma comparação com uma caixa de ferramentas literalmente falando. Para ele essa caixa são as habilidade que se acumulam com a escrita. Segundo ele, não existe uma fórmula mágica, você deve escrever e ler muito para adquirir essas habilidades. Ele também fala dos tipos de narrativa, exemplos de sucessos, os elementos de estilo e o que evitar. King também diz que o que está nesse livro é o que funciona com ele e que com outros pode ser diferente.


Outra coisa que me chamou a atenção e que nunca imaginei que ele tivesse a mesma opinião que eu. Ler livros ruins também é bom, pois te ensina a não escrever daquela forma. E sempre tive isso em mente, leio de tudo e mais um pouco, desde gêneros diferentes, até autores conhecidos ou desconhecidos e já li alguns livros ruins e quanto lia, ficava pensando “cara eu não posso escrever assim”, “não posso fazer esses tipos de diálogo”. Enfim, que bom que não sou tão louca assim.


Depois temos o sobre a Vida: Um Postscriptum, que ele nos relata o acidente que quase lhe custou a vida, sua recuperação e como ele volta a escrever, daí vem o #Misery e o filme #LoucaObsessão. O pequeno detalhe dessa parte é que a narrativa me fez viajar e era como se eu estivesse realmente lendo um livro de ficção de tão envolvente que é a escrita dele.



Em seguida, tem a parte E, por fim, Parte I: Porta Fechada, Porta Aberta, que nos mostra alguns trechos do livro #1408, sem correções, sem alterações, exatamente da forma como ele escreveu originalmente. Inclusive, o nome do livro nem era 1408, era (A História do Hotel / The Hotel Setor). Em seguida, vem as alterações, cortes e inclusões e depois a versão final.





Por fim, tem E, por fim, Parte II: Uma Lista de Livros e Mais do Por Fim, Parte III (acrescido na edição comemorativa) tem uma lista de livros que King leu entre 1998 e 2009, são cerca de 200 livros, tem até livros do Harry Poter.


A única ressalva que tenho sobre o livro é que por ele não ser atual, não aborda como hoje em dia as redes sociais influenciam na vida dos autores.


Conclusão, um excelente livro que nos ensina muito mais do que só a arte da escrita. ÓTIMO para quem está iniciando na carreira e arrisco dizer que até para quem já está há muito tempo nesse meio.



3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo