top of page

RESENHA: É Assim que Começa(Brasil)

Um dos títulos mais esperados de 2022, mas fico na dúvida se realmente atendeu às expectativas


Título: É Assim que Começa(Brasil), Isto Começa Aqui(Portugal), It Starts Wuith Us(original)

Autora: Colleen Hoover

Publicado: 18 outubro 2022

Editora: Galera(Brasil), TOPSELLER(Portugal), Simon & Schuster(original)

Páginas: 336 páginas (Brasil), 332 páginas(Portugal), 384(original)

Rating: 3 stars


Sinopse:

Lily Bloom continua administrando uma floricultura. Seu ex-marido abusivo, Ryle Kincaid, ainda é um cirurgião. Mas agora os dois estão oficialmente divorciados e dividem a guarda da filha, Emerson.

Quando Lily esbarra em Atlas, seu primeiro ― com quem não fala há quase dois anos ―, parece que finalmente chegou o momento de retomar o relacionamento da adolescência, já que ele também está solteiro e parece retribuir os sentimentos de Lily. Mas, apesar de divorciada, Lily não está exatamente livre de Ryle. Culpando Atlas pelo fim de seu casamento, Ryle não está nada disposto a aceitar o novo relacionamento de Lily, ainda mais com Atlas, o último homem que aceitaria ver perto de sua filha e da ex-esposa.

Alternando entre os pontos de vista de Atlas e Lily, "É Assim que Começa" retoma logo após o epílogo de "É Assim Que Acaba". Revelando mais sobre o passado de Atlas e acompanhando a jornada de Lily para abraçar a sua segunda chance, no amor, enquanto lida com um ex-marido ciumento, É assim que começa prova que ninguém entrega uma leitura mais emocionante do que Colleen Hoover.

A sequência de "É Assim Que Acaba" (2016) mostra as consequências da violência doméstica através do olhar de uma mãe solteira.


Um Pouco Sobre o Livro...

A história começa logo depois que Lily reencontra seu primeiro amor, Atlas, após um desentendimento com o ex-marido, Ryle. Enquanto tenta equilibrar trabalho e ser mãe solteira de sua filha Emerson, de quase um ano. Lily enfrenta a possibilidade de iniciar um novo relacionamento com seu namorado do ensino médio. Nota: contém spoilers!

Lily se torna uma mulher receosa e um de seus receios é mandar Emerson para a casa do pai durante a noite e quer esperar até que ela tenha idade suficiente e consiga falar se algo acontecer. Ao mesmo tempo, não quer lutar pela custódia total para que não se torne um drama jurídico caro ou algo pior.

Continuamente estressada pelo comportamento persistente e agressivo de Ryle, Lily relutantemente decide estabelecer limites para o bem dela e de sua filha. Enquanto isso, busca um relacionamento com Atlas, apesar do medo da reação de Ryle, assumindo finalmente o poder sobre sua vida.


Se você estiver interessado no livro “É Assim que Acaba”, clique aqui, que lá compartilho minha opinião sobre o romance.


Lily, assim como muitas mães, sempre colocou Emerson em primeiro lugar, apesar de seus sentimentos por Atlas, mostrando um contraste com o comportamento de Ryle em relação à Lily e a ideia de ela estar em um relacionamento. Ele aparece mais preocupado com quem ela estava namorado do que como isso afetaria a filha.

E assim, a história se desenrola até o final feliz que muitos fãs de Collen almejavam para Lily e Atlas.


Na minha opinião...

Collen apresenta o livro em primeira pessoa com Lily e Atlas contando sobre o que está acontecendo em suas vidas. Porém, de certa forma, o livro trata mais da história de Atlas, explorando alguns traumas em sua vida e acaba que Lily não tem o seu devido espaço como protagonista do primeiro livro. Mesmo com a continuação da história de Lily com seu volátil ex-marido Ryle, não há muita coisa acontecendo, apesar dos pequenos momentos de retomada do relacionamento abusivo.

Atlas é um personagem, a meu ver, criado com muito envolvido emocionalmente e levado ao ponto de não representar com precisão os sentimentos dos homens de sua idade, chegando a parecer um homem que vive apenas nos nossos sonhos ou contos de fadas. Atlas é perfeito demais e sabemos que esse tipo de homem não existe. Enfim, este é um livro onde você realmente precisa ler o primeiro para entender o que está acontecendo.

Não há uma introdução profunda à história de Lily e do seu primeiro amor, Atlas, nem os relacionamentos com os outros personagens. Pode-se dizer que é como se fosse um único livro (“É Assim que Acaba” e “É Assim que Começa”), que foi dividido em dois. O que não deixa de ser um feito, como explicado pela própria Colleen Hoover no final do livro, uma sequência de “É Assim que Começa” não foi planejada e foi escrito, anos depois, pela pressão das redes sociais e de seus leitores para que Lily e Atlas ficassem juntos.

“É Assim Que Começa”, a meu ver, faltaram momentos de tensão e emoção que foram muito bem explorados no primeiro livro. Não é que ele seja terrível. As vozes que Colleen Hoover deu para Lily e Atlas são distintas e ela consegue desenvolver o que está em suas mentes. Além disso, ela consegue resolver suavemente alguns dos traumas do primeiro romance e concentra-se na recuperação e no início de uma nova vida de amor saudável, mas acaba sendo uma sequência um pouco sem graça.

Enfim, “É Assim que Começa” é uma história sobre se sentir amado pela primeira vez e dar o amor que você acredita que os outros merecem de você. Além disso, o livro explica que nem todo amor dos pais é incondicional e nem todo amor romântico terá fim.


Aspectos Psicológicos...

Lily Bloom é uma jovem que enfrenta uma série de desafios emocionais e psicológicos ao lidar com um relacionamento abusivo com o seu ex-marido e pai de sua filha. E é através de Lily que Collen aborda, de forma sensível e realista,  como experiências traumáticas podem impactar profundamente a vida de uma pessoa e como é difícil quebrar esses ciclos. A história detalha os efeitos devastadores do abuso e a constante luta interna para reconhecer e reagir a esses abusos. Por fim, Lily representa a luta e a resiliência de muitas pessoas que enfrentam situações semelhantes, um exemplo de força interna necessária para superar adversidades.


Importância do Livro...

Os leitores são inspirados a reconhecer sua própria força e a reconhecer como é importante a busca por um ambiente seguro e saudável. O livro também aborda a importância de procurar ajuda, ao mostrar o quanto é complexo permanecer fora de um relacionamento abusivo.


Conclusão...

Colleen Hoover nos oferece uma obra que vai além do entretenimento, proporcionando uma experiência de leitura que educa, empodera e inspira. "É Assim que Começa" é uma leitura indispensável para todos que desejam entender um pouco sobre a dinâmica dos relacionamentos abusivos e a importância da saúde mental.

Não deixe de ler "É Assim que Começa”, recomendo este livro, especialmente para aqueles que leram o primeiro livro e principalmente para que você tenha a sua própria opinião sobre o livro.



Deixe seu comentário e não esquece de clicar no coraçãozinho!!!



4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


Post: Blog2_Post
bottom of page