KHARON - Parte III

O projeto "Um Mês Um Conto" está de volta durante o mês de Maio/2021.


KHARON é a minha primeira aventura no mundo da ficção científica e o conto foi escrito para o projeto "Em Um Mês, Um Conto".


A antologia completa poderá ser adquirida posteriormente como livro físico e também em formato de e-book.


Aproveite a leitura!


----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


KHARON / PARTE III


- O quê? Não! Você não pode. Oficial, com todo respeito, mas a senhora não está bem, como você vai conseguir ir lá fora?

- Mas é preciso, a cada minuto terrestre que passa ficamos sem tempo. Se eu não for lá fora...

- Eu vou!

- Você o quê? Não, não posso permitir isso. É perigoso, você não teve treinamento para isso...

Antes que Ava pudesse falar mais alguma coisa, novamente sentiu algo subindo pela garganta, que queria sair de forma bruta e espessa, foi impossível para ela conseguir fazer qualquer coisa para impedir. Contudo, dessa vez foi diferente, em vez de sentir um gosto amargo, agora ela sentia um gosto metálico, ácido em sua boca. Ava ficou por alguns segundos de olhos fechados, inspirando e expirando profundamente, enquanto que uma lágrima descia lentamente de seu olho direito. Ao abrir os seus olhos, viu algo viscoso de uma cor escura e ao passar uma das mãos para limpar um líquido que saía de seus olhos, viu a mesma coisa.

Ava arregalou seus olhos com o que via e ao olhar para Gael, viu que ele também estava espantado com o conteúdo expelido por Ava e ela sabia que aquilo não era bom. Ela precisava de atendimento especializado e eles não tinham isso na Kharon.

- Vo,vo,você pode me orientar, eu sigo exatamente as suas indicações. Eu consigo.

- Controle da missão. Aqui é a Oficial de Engenharia, Ava. Conseguem me ouvir?

- Sim Oficial. O que aconteceu? A senhora só deveria estar fora da criogenia assim que vocês saíssem do lado escuro. E pelo que estou analisando, falta pouco tempo para chegarem ao local.

- Sim controle, temos uma avaria nos espelhos refletores, porém, existe um outro problema. Sem perder mais tempo e sem maiores detalhes, eu não fui retirada da criogenia da forma correta e por isso, tem algo muito errado comigo e não tenho condições de sair da nave. Por isso o Especialista Gael se ofereceu. Como proceder? Tiramos mais alguém da criogenia?

- Sigam o protocolo padrão e quero um relatório do que está acontecendo. Mande Gael fazer o conserto, ele pode não ter experiência, mas tem o treinamento básico. A cada minuto que passa eles podem nos descobrir, então é imperativo a ida dele.

Ava, sem ter outra escolha, aceitou as ordens do Controle da Missão. Todos tiveram treinamento básico, mas além de ser a primeira missão de Gael fora de seu planeta de origem, o tipo de problema que eles estavam enfrentando, a deixava mais tensa ainda. Cada minuto terráqueo contava e ela sabia que depender de intercomunicação neste momento, não era nada bom. Porém, sua condição física estava se deteriorando rapidamente e tinha reais dúvidas se conseguiria chegar ao fim da missão.

Ela deu todas as orientações enquanto o ajudava a colocar seu traje espacial. E mais uma vez se sentindo sufocada e de novo algo viscoso saiu de sua boca. Gael se preocupou, mas ela sem dar chance para ele, saiu do compartimento de descompressão que eles estavam e em seguida, Gael acionou o sistema de liberação. Ava o olhou pela escotilha e o viu saindo da nave. Em seguida, ela voltou para o centro de controle e iniciou a comunicação com ele.

- Gael, está me ouvindo? O controle da missão também nos ouve.

- Sim, com uma leve interferência, mas estou ouvindo.

- Ótimo, agora você precisa acoplar o gancho de segurança, depois segue pela plataforma, até o fim. Você precisa alcançar o terceiro espelho depois da plataforma.

- Sim, oficial.

- E outra coisa, pare de me chamar de Oficial, me chame apenas pelo meu nome.

- Sim, ofi..., quero dizer Ava.

- Chegando ao final da plataforma, transpondo a grade de segurança...estou em ...te a ...elho.

- O quê?! Gael? Repita! Não estou entendendo!

- ...espelho.

- Ok, vou habilitar a minha projeção, agora estou vendo o que você vê. Não estou te entendendo direito.

- Eu...nor...te

Ava orientou Gael a desenroscar os protetores dos conectores, com cuidado para que não fossem perdidos no espaço. Eles seriam usados na reposição. Em seguida, ele teria que desparafusar as travas de segurança e só aí desacoplar os conectores atrás do painel defeituoso. Tudo isso em um espaço pequeno entre uma e outra placa. E o alertou a cada passo do processo que não seria fácil, ele precisaria ter cuidado para não se perder no espaço, principalmente o painel. Eles não podiam correr o risco de ter aquele tipo de tecnologia vagando por aí e ser de alguma forma descoberta.

Gael teve mais dificuldade do que imaginava em todos os processos. Enquanto voltava para a porta de entrada da Kharon, ele quase deixou a placa escorregar de suas mãos, ao ultrapassar a grade de segurança. Para evitar que o pior acontecesse, Gael bateu com força com a mão e ao mesmo tempo sentiu uma dor alucinante. Ava de repente parou de ver o que Gael via. Ela começou a gritar pelo comunicador, mas ele não respondeu. Gael gritava de dor e pedia ajuda, mas Ava não o ouvia.

A Oficial percebeu que não tinha mais como esperar. Faltavam dez horas terráqueas para chegar ao lado escuro da lua, seu especialista poderia naquele momento estar morto, então começou o processo de retirada da criogenia dos quatro outros membros da tripulação. Em seguida, se arrastando sem ter forças em suas pernas, foi até o compartimento de descompressão e vestiu seu traje, demorando muito mais tempo do que ela queria, ao abrir a porta, quase bateu no capacete em Gael. Ele estava com o seu visor embaçado e segurava o painel com uma das mãos, outra estava retorcida.

Os dois entraram e então viram que Gael havia quebrado a mão em vários locais. Depois de imobilizar e administrar composto que regenera em algumas horas o que estava danificado, Ava informou ao controle da missão, o que estava acontecendo e o que faria. Tanto o controle, quanto Gael tentaram dissuadi-la, mas foi em vão, Ava estava decidida. Pegou um painel sobressalente e foi para o compartimento de descompressão e saiu da nave. Assim que a porta saiu, sem conseguir evitar jatos fortes viscosos saíram de sua boca e a cada jato, ela apenas virava um pouco a cabeça para não obstruir sua visibilidade.

Ava tentou se comunicar, mas não teve nenhum retorno de Gael ou do controle da missão e viu que estava sozinha. Ela em sua terra natal, já tinha simulado esse tipo de situação e com todos os problemas de estar no espaço, ela sabia que teria tempo hábil se não estivesse sentindo nada, mas em suas condições, tinha certeza que demoraria mais e Gael não podia ajudá-la, pois precisava terminar o processo de retirada da criogenia da tripulação dessa vez de forma correta, por mais que lhe fosse exigido que apressasse o procedimento.

Assim que as quatro horas se passaram, Gael teve certeza do sucesso de Ava, mas ao ser abordado por todos os outros tripulantes, precisou, junto com o controle da missão, explicar tudo o que havia acontecido. Enquanto isso, eles chegaram ao lado escuro da lua. Dois deles assumiram o controle da neve e os outros dois juntos com Gael, foram ver o que havia acontecido com Ava. Ao abrirem a porta da Kharon, viram a oficial flutuando, aparentando estar desmaiada, presa apenas pela corda de segurança.

Eles a puxaram devagar e assim que alcançaram seu corpo, depois de entrarem na nave, a levaram até sua estação de criogenia e tiraram seu capacete e traje espacial. Um scanner passou por seu corpo e informou que Ava apresentava uma respiração curta e que estava em estado crítico. Enquanto isso, de sua boca e ouvidos escorriam uma gosma escura.

Ava estava morrendo. E não tinham nada que pudessem fazer. Ela conseguiu abrir os olhos depois de ouvir a voz de Gael lhe agradecendo por lhes dar uma chance de sobreviver.

- Oficial Ava, estamos entrando na atmosfera, em pouco tempo aterrissamos. Quer fazer as honras quando chegarmos? - perguntou um oficial, ativando o comunicador para o controle da missão.

Ava apenas sorriu em resposta.

- Kharon para Controle da Missão. Última comunicação da Oficial Ava… aterrissamos no planeta Terra…local Parque Nacional de Brasília…primeira fase da missão de invasão foi concluída…com sucesso…nenhum alerta de detecção. A tripulação iniciará reconhecimento local…em breve eles informarão quando podem virar as naves de extermínio…e de colonização…

...

Gostou do conto? Deixe um comentário!

E não esquece de clicar no coração.



30 visualizações3 comentários

Posts recentes

Ver tudo