Primeiro Crime

meuEbookResetei (6).png

Para saber um pouquinho sobre o  processo de criação deste conto,
clique aqui.

— O que você está fazendo aqui? Como entrou na minha casa?

— Pai! O que foi? O que está acontecendo?

— Vocês dois...para o quarto, agora! E você sai daqui! Você não deveria estar aqui!

— Pai...não! Não vou deixar você sozinho. Quero te ajudar!

— Leva o seu irmão para o quarto...cuide dele...seja uma boa menina...te amo!

***

— Senhor Rodrigo, o senhor está aí? Estou entrando, o portão estava aberto. Sou a Maria, a empregada...senhor Rodrigo....oh meu Deus!!!

***

Era de manhã bem cedo e o primeiro dia na unidade de homicídios da Investigadora Ramos. Ela nem bem se apresentou e foi informada que deveria ir até uma cena de crime, em uma das áreas mais nobres do Rio de Janeiro, Leblon, com o parceiro que lhe foi designado, o Investigador Dias.

Sem escolha e mal tendo tempo para falar qualquer coisa ou pensar, seguiu seu parceiro e entrou na viatura em que ele estava. Assim que fechou a porta, levou um susto com o arranque do carro. Pelo canto do olho, Dias viu Ramos segurando com força a alça do teto do carro com uma mão e com a outra o banco. Ele disfarçadamente deu uma risada da situação.

Logo assim que a viatura parou em frente a uma suntuosa casa, Ramos saiu do carro e percebeu que suas pernas tremiam.

— E aí novata, tá bem? — perguntou Dias.

— Estou bem sim. Não precisa se preocupar comigo. — respondeu Lívia.

— Não colocar nada par fora não hein cacete!

— Não vou. — disse Lívia escondendo o que realmente sentia, uma vontade de vomitar, que subia e descia em sua garganta, sem parar.

Seguindo os outros policiais, ela entrou na propriedade e precisou se fazer de forte e se controlar para não demonstrar o seu nervosismo e não dar uma má impressão. Por ser mulher, sabia que enfrentaria muitos obstáculos e preconceitos.

Se controla Lívia, você lutou muito para chegar aqui, nada pode te impedir.

Ramos começou a hiperventilar enquanto passava pelo jardim na parte da frente da casa. Ela, junto com outros policiais, entraram na casa pela porta da sala e viram que tinha sangue para todo o lado. Além de pegadas de sangue pelo tapete e pelo chão. Ramos ao ver toda aquela cena engoliu em seco.

Meu Deus e o dia nem bem começou!

Lívia se arrepiou toda com a expectativa de ver o seu primeiro cadáver e tentou de toda forma se controlar para não vomitar na cena do crime...

...

Quer saber como o primeiro dia de Lívia termina?!
Clique aqui e adquira já antologia